Filtros

Perversões

ao-fim-do-dia.jpg
ao final do dia

Quando a luz se dissipa em tons de laranja pelo topo dos prédios, a paz invade-me a alma. Gosto de me sentar no miradouro de São Pedro de Alcântara e imaginar que o ar é puro. Os últimos minutos da tarde são fatídicos – tal como pálpebras que lentamente sucumbem ao sono – como o rio que brilha em tons de Lua, o castelo que adormece na penumbra.

Ler Mais
Pre-historia.jpg
Na pré-história

Tenho fome de ti, diz Soraia quando sai do banho e Jave deitado nu na cama, aguarda-a lendo Sartre. Soraia tem cabelo longo encaracolado que herdou da avó cabo verdiana. Os olhos verdes esmeralda brilham à medida que o pénis dele cresce imponente, um menir pré histórico que é a prova viva de que o sexo é a forma de comunicação mais pura entre géneros.

Ler Mais
Edgar.jpg
Edgar

Edgar senta-se à secretária onde os manuscritos se acumulam em montes de páginas soltas e desordenadas. Os poemas escorrem da sua alma como que por desespero, procurando o conforto nas folhas brancas, ficando marcados a tinta negra. Todos os dias tem algo para registar, por vezes apenas uma pequena experiência que não quer esquecer:

Ler Mais
Repasto2.jpg
Repasto

Reunimo-nos para jantar em minha casa, estava frio e por isso coloquei alguma lenha na salamandra. Os convidados chegaram à hora marcada e a mesa, preparada ao pormenor, já os aguardava ansiosamente. As senhoras, com longos casacos de inverno cobrindo vestidos de gala pretos, vermelhos, malhados, traziam nos olhos o brilho de quem contempla diamantes.

Ler Mais
raizes.jpg
Raizes

Perdido em corpos de mulheres, procurando conforto nos seios, nas ancas, nas vulvas, nos lábios e línguas, percebi que a cova na qual me iria enterrar vivo estava a tornar-se mais funda e mais escura, um fosso infinito de ausência. Como eu devem existir muitos outros, homens e mulheres, numa luta diária pela satisfação que, insaciável e devastadora, arrefece o sangue, e na companhia de outros corpos, por breves momentos, aquece a alma.

Ler Mais
tendinites.jpg
Tendinites no hotel

Um dia, João Peixe vadeava pelo Chiado quando decidiu beber um café no quiosque ali na praça Camões. Sentou-se na esplanada, o sol estava quente e queimava a pele, o café queimou a língua. Vítor estava algures no norte visitando familiares e Luísa, desaparecida há mais de uma semana, provavelmente ter-se-ia enamorado por mais um homem desinteressante com quem perdia tempo, deixando J.P. ao abandono e suscetível ao acaso dos encontros e desencontros.

Ler Mais
Chinesices.jpg
Chinesices

Os meus vizinhos chineses todos os dias saem de casa às sete da manhã e voltam às dezanove em ponto. Têm uma filha com cerca de vinte anos que fala perfeitamente português e o seu comportamento é bastante europeu, roçando o latino. Estuda numa universidade pois já a vi trajada, carregando uma pequena pasta que se assemelha a um testamento com capa de couro.

Ler Mais
Deusas-e-deuses.jpg
Deusas e Deuses (machos e fêmeas)

Num acaso dos Deuses esbarrámos um no outro e na semana seguinte dormimos juntos. As vozes modificam-se quando fazemos amor, o respirar torna-se sincronizado e os lábios tocam-se na mesma frequência que a penetração. O pulsar dos sexos é a forma que os corpos têm para expressar desejo e a alma, mergulhada em delírio, apaixona-se e perde um pouco de si, passando então a fazer parte do outro. A fusão de almas é o mistério que ninguém nos revela e que pode ser penoso se gerido de forma indevida.

Ler Mais
Amigaram-se.jpg
Amigaram-se

Quando era criança, recordo ouvir os meus avós comentarem que determinada mulher, era agora amiga de determinado homem. "Amigaram-se", diziam. Essa expressão ficou-me na memória e uma enorme curiosidade em perceber a fundo o que realmente significa. Pelas minhas investigações um homem pode ser casado e amigar-se com a vizinha ou até com a cunhada.

Ler Mais
tracas.jpg
São traças

Tinha passado a noite numa daquelas associações centenárias, a beber bagaços e a conversar sobre tretas, com os velhotes do bairro. O senhor Manel contou-nos a sua história de quando arranjou uma puta de dezanove anos, tendo ele setenta e oito, que lhe fez trinta por uma linha. Eu sabia que eram tudo aldrabices mas a ideia de tal possibilidade era hilariante e o bagaço não parava de surgir na mesa. Foi uma noite perfeita para um dia de ressaca.

Ler Mais